BOLETIM TÉCNICO E ECONÔMICO – Nº 08

BOLETIM TÉCNICO E ECONÔMICO – Nº 08

29 de setembro de 2021 0 Por Raquel Serini

Valendo a partir de hoje, a Petrobras aplicou um reajuste de quase 9% sobre o valor do diesel após 85 dias de estabilidade nos preços praticados nas refinarias. A companhia informou que o movimento é importante para garantir o abastecimento do combustível no país e para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem risco de desabastecimento pelos diferentes agentes nas diversas regiões brasileiras.

Com o ajuste, o valor médio do diesel vendido pela companhia a distribuidoras passou de R$ 2,81 para R$ 3,06 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,25 por litro. Acumulando um alta de 56,68% só de janeiro a setembro de 2021, ou seja, só esse ano foram 10 reajustes de diesel, sendo 8 aumentos e 02 reduções.

Mesmo diante dos fatos, a Petrobras afirma que apenas parte do preço final dos combustíveis é de sua responsabilidade, uma vez que, considerando a mistura obrigatória de 12% de biodiesel e 88% de diesel A para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço do diesel na bomba passará a ser de R$ 2,70 por litro em média, uma variação de R$ 0,22.

O repasse do aumento para as bombas, nos postos, depende de uma série de questões, como margens de distribuidoras e revendedoras, misturas de biodiesel, assim como tributos.

A POLITICA DE PREÇOS CONTINUA A MESMA…

O aumento já era esperado já que os valores praticados até então ainda estavam defasados ante o mercado internacional, segundo executivos da empresa. Nos últimos meses houve mudanças significativas no mercado internacional, mas que grande parte delas foi compensada por flutuações do câmbio. No entanto, uma redução de oferta de petróleo, especialmente nos Estados Unidos, e uma perspectiva de elevação da demanda internacional de energéticos têm puxado os valores para cima.

MAS OS PREÇOS CONTINUAM SUBINDO…

De acordo com o último levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), da última sexta (24), o preço médio da gasolina nos postos de combustíveis do Brasil avançou pela oitava semana consecutiva e permanece acima da marca de R$ 6,00 por litro.

O levantamento mostrou alta nos valores do etanol e leve recuo no óleo diesel. Segundo a agência, a cotação média da gasolina comum nas bombas atingiu R$ 6,092 por litro, ante R$ 6,076 na semana anterior.

O valor da gasolina nos postos tem avançado ininterruptamente desde a primeira semana de agosto. Já o combustível mais consumido do Brasil, o óleo diesel, teve o preço médio cotado a R$ 4,707 por litro, ligeiramente abaixo dos R$ 4,709 registrados na semana do dia 13.

O etanol, concorrente direto da gasolina nas bombas, também apurou alta ao atingir R$ 4,715 por litro na última semana, ante R$ 4,704 no levantamento anterior.

IMPACTOS NO TRC

Diante deste cenário, apuramos que o aumento sobre o preço do diesel na refinaria elevará os custos do transporte de cargas lotação em 15,31% na média geral, sacrificando mais as operações de longas distâncias (6000 km) em 22,04%. Já para as operações de carga fracionada o impacto médio é de 7,54%. Acompanhe as outras faixas acima.

Nesse caso, toda e qualquer majoração, deve ser avaliada e repassada pelas empresas, a fim de estabelecer o equilíbrio financeiro de suas atividades.